Contato

 

Avenida Francisco Heráclito dos Santos, s/n

Centro Politécnico

Caixa Postal 19020

81531980 – Curitiba, PR – Brasil

 

Tel: +55 41 3361-1639

 

 

Siga:

 

  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle

© 2018 por Feitosa Lab. 

Coleção

Coleção Entomológica Pe. Jesus Santiago Moure - DZUP

O nosso acervo de formigas está inserido na renomada Coleção Entomológica Pe. Jesus Santiago Moure da Universidade Federal do Paraná (DZUP). Padre Jesus S. Moure (1912–2010) foi o fundador do Departamento de Zoologia da Universidade Federal do Paraná, em Curitiba, no ano de 1938, ano da fundação da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da mesma universidade. Apesar de entomólogo, foi o responsável pelo marco inicial da Biologia Marinha no Paraná no ano de 1951, tendo trabalhado muito para a criação de uma Estação de Estudos do Mar. A partir de seus estudos em Insecta, Hymenoptera, mais particularmente abelhas, fundou em 1956 o que se tornou a terceira maior coleção de insetos do país e a qual leva seu nome. O acervo dessa coleção conta com aproximadamente sete milhões de insetos representantes principalmente das ordens Coleoptera, Diptera, Hemiptera, Hymenoptera e Lepidoptera. Atualmente a Coleção Pe. Jesus Santiago Moure conta com a curadoria geral da Dra. Luciane Marinoni.

 

O acervo de Coleoptera conta com cerca de 100 famílias e está distribuído em mais de 1.400 gavetas. Marinoni et al. (1992) publicaram uma lista do material tipo incluindo 1.429 exemplares e Ribeiro-Costa et al. (2010) aumentaram esse número para 1.541. A coleção de Coleoptera tem como curadoras a Dra. Lúcia Massutti Almeida e Dra. Cibele Stramare Ribeiro-Costa (Laboratório de Sistemática e Bioecologia de Coleoptera). 

 

Na Coleção de Diptera existem 110.000 espécimes secos e alfinetados ou em lâminas, cerca de 40 por cento identificados ao nível genérico ou específico. As famílias mais representativas são Muscidae, Culicidae e Syrphidae. A coleção tem como curador o Dr. Claudio J. B. de Carvalho. A Coleção de Hemiptera abriga cerca de 105.000 exemplares montados em alfinetes entomológicos. Possui também 11077 lâminas, representando 63 gêneros e 140 espécies de Aphidoidea. A coleção tem como curador o Dr. Rodney Ramiro Cavicchioli. A coleção de Lepidoptera possui 363 tipos primários, entre holótipos, neótipos e lectótipos de espécies neotropicais. Sendo o Dr. Olaf H. H. Mielke curador de Hesperioidea e mariposas (130.415 exemplares) e Dra. Mirna M. Casagrande de Papilionidea (137.590 exemplares).

 

O acervo de Hymenoptera da coleção DZUP contém aproximadamente 500 mil exemplares montados e etiquetados. A maior parte do material, cerca de 340 mil espécimes, pertence à família Apidae (abelhas). O acervo abriga um grande número de tipos primários de espécies de abelhas descritas, principalmente aquelas descritas pelo Padre Moure e pela Profa. Danúncia Urban, com cerca de 600 holótipos no total. O Dr. Gabriel Augusto Rodrigues Melo é o curador geral da coleção de Hymenoptera.

 

Como mencionado acima, a coleção de Hymenoptera da DZUP tem como maiores representantes as abelhas, por conta das especialidades do Padre Moure e do Dr. Gabriel Melo. Até o ano de 2013 o acervo de formigas era representado por apenas quatro gavetas entomológicas, com pouco menos de 1.000 exemplares. Após a chegada do Dr. Rodrigo Feitosa, os convênios estabelecidos e os trabalhos de campo (ver seção Expedições desta página) do Laboratório de Sistemática e Biologia de Formigas ampliaram significativamente a representatividade das formigas na Coleção Padre Moure.

 

O DZUP tornou-se rapidamente uma instituição referência para o depósito de material testemunho de estudos mirmecológicos no Brasil e exterior. Além da estreita relação com os míticos acervos do Museu de Zoologia da USP, que tem como curador o Prof. Carlos Roberto Ferreira Brandão, e do Laboratório de Mirmecologia da CEPLAC em Ilhéus cujo curador é o Dr. Jacques Delabie, destaca-se a chegada à UFPR do Dr. John Lattke em 2014, um dos maiores nomes da sistemática de formigas no mundo. Este evento foi de suma importância para a incorporação de material representativo de formigas coletadas em diversas regiões do mundo, incluindo uma réplica integral da coleção de formigas do Museo de Zoología Agrícola, Maracay – Venezuela, originalmente pertencentes ao acervo pessoal do Dr. John e agora depositadas na coleção de formigas do DZUP.


Em 2018, o Laboratório de Sistemática e Biologia de Formigas recebeu a doação integral da histórica Coleção Mirmecológica do Laboratório Frei Walter W. Kempf da Universidade Federal de Goiás – Jataí (atualmente Universidade Federal de Jataí). A doação foi concretizada em consequência da aposentadoria de um dos maiores nomes da taxonomia de formigas neotropicais, o Dr. Jorge L. Machado Diniz, até então curador desta coleção. Em contato com nosso grupo, o Dr. Jorge e os membros da Unidade Acadêmica Especial de Ciências Biológicas da regional Jataí da UFG formalizaram uma proposta de doação da coleção, acatada de imediato pelo grupo de curadores da Coleção Entomológica Padre Jesus Santiago Moure-UFPR.


Assim, a DZUP passou a ser depositária de mais 165 gavetas entomológicas e 300 lotes líquidos contendo exemplares originais e réplicas das míticas coleções Kempf, Borgmeier e Diniz. A doação soma cerca de 50 mil espécimes que abrangem a maior parte das regiões biogeográficas do globo e incluem grande parte dos gêneros e espécies conhecidos para a Região Neotropical, entre estes, importantes espécimes-tipo. Junto à coleção de formigas foi doado integralmente o acervo bibliográfico do laboratório do Prof. Diniz, com publicações históricas de valor inestimável para a Mirmecologia, incluindo volumes originais da revista "Studia Entomologica", além de publicações originais, cadernos de campo e catálogos da biblioteca Kempf-Borgmeier-Diniz.


A incorporação da Coleção Diniz soma-se aos milhares de espécimes já depositados no acervo DZUP graças a diversas doações anteriores e contínuas (CEPLAC, MIZA, MZSP, UFLA, UFAC, UMC, UFOP, UFMT, UVF, UFRGS, UECE, UFMS, UFGD, UFU, UNESP, UFPE, UFRRJ, MPEG, INECOL - México, Museo Entomológico de la Universidad Nacional de Colombia, George Washington University, Smithsonian Institution, University of Utah, entre outras) e ao trabalho continuamente desenvolvido pelos grupos dos Profs. Rodrigo Feitosa, John Lattke e Marcio Pie.


Desta forma, o acervo de formigas da Coleção Entomológica Padre Jesus Santiago Moure-UFPR passou das iniciais quatro gavetas e cerca de 1.000 exemplares em 2013 para atuais 300 gavetas e cerca de 105.000 exemplares atualmente, com crescimento contínuo.

 

O Projeto Taxonline

O Departamento de Zoologia da UFPR, no âmbito da Coleção Entomológica Padre Jesus Santiago Moure é também a sede do Projeto Taxonline – Rede Paranaense de Coleções Biológicas. Este projeto é coordenado pela Dra. Luciane Marinoni e teve início em dezembro de 2005. Caracteriza-se principalmente pela informatização dos dados das coleções e sua liberação via internet. A captura e a passagem dos dados das etiquetas de cada exemplar biológico para um sistema de armazenamento em computador é o passo inicial essencial para tornar a imensa quantidade de informações das coleções acessíveis e passíveis de ser transformadas em produtos úteis para a sociedade.

 

Entre as etapas de desenvolvimento estão incluídas a organização do material das coleções, da infraestrutura de apoio e das informações a serem disponibilizadas. Com seu crescimento e fortalecimento a Rede passou a ter um maior envolvimento dos curadores e hoje é um grupo de instituições e pesquisadores com objetivos comuns que vão além da informatização de seus acervos.

 

No final de 2013 a Rede passou a fazer parte do Sistema de Informação Sobre a Biodiversidade Brasileira – SIBBR e Global Biodiversity Information Facility. Neste sentido, além de sua importância histórica, a Coleção Entomológica Padre Jesus Santiago Moure destaca-se no cenário nacional por ter seu acervo continuamente digitalizado e com informações disponibilizadas em rede alimentando diversos bancos de dados e permitindo um alto nível de controle sobre a origem, quantidade, distribuição e representatividade de espécimes na coleção.